Música e esporte,
uma relação que pode trazer inúmeros benefícios

Para evoluir na corrida é preciso dedicação e atenção a especificidades do treinamento e também da preparação.

Quanto a parte da atenção ao treinamento, as mãos e braços dos corredores devem estar sempre relaxados balançando como pêndulos para ajudar na mecânica do corpo durante a corrida, além disso é muito importante prestar atenção na pisada para previnir possíveis lesões e sobrecargas em algumas articulações. Porém esses não são os únicos pontos que todo atleta de corrida deve prestar atenção, existem vários outros, e um deles é a cadência, que inclusive, muitos atletas não fazem idéia do que é.

Para que não sabe o que é a cadência, ela é o número de vezes em que um atleta pisa no chão em determinado intervalo de tempo, e quanto mais vezes ele pisa no chão, mais energia ele economiza.

Alguns treinadores defendem que 180 passadas por minuto é o ideal. Este número "mágico" surgiu a partir de um estudo do técnico e fisiologista norte-americano Jack Daniels, que analisou a corrida dos principais atletas do mundo nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. No entanto, a quantidade de passadas que cada atleta consegue dar depende da estrutura física de cada um, de toda maneira treinadores do mundo inteiro recomendam uma cadência elevada com, pelo menos, 160 passos por minuto.

É importante ressaltar que independente da velocidade é possível manter um número de passadas elevada, pois o que determina a velocidade é a cadência + a amplitude da passada. Quanto mais amplitude tiver a passada de um atleta, maior será sua velocidade.

E onde a música entra nessa história? Pois bem, medir a cadência e tentar acertá-la enquanto se corre é um exercício bastante difícil, porém existe uma maneira muito eficaz que pode ajudar os atletas a atingirem uma cadência desejada. Para isso é necessário o uso de um metrônomo, que pra quem não sabe, é um aparelho que através de pulsos sonoros de duração regular, indica um andamento musical.

Na música, as batidas são os pulsos sonoros de duração regular (embora os elementos de uma música possam aparecer com regularidade diferente, mas isso é assunto para uma outra hora), e esses pulsos podem ser associados com as passadas para que um atleta consiga atingir uma cadência desejada. De modo prático, se um atleta correr no ritimo de uma música de 4 minutos (indepedente do genêro) que tem 90 BPM (batidas por minuto), no final desses 4 minutos esse atleta terá corrido 4 minutos em uma cadência de 180 SPM (passos por minuto).

Sem muitas delongas, minha idéia de projeto é conseguir reunir DJ's do mundo inteiro que tem ligação com a corrida (e isso pode evoluir para outros esportes que também usam a cadência para melhorar a técnica nos resultados) para produzir conteúdo como mixtapes gravadas e disponibilizadsa gratuitamente para download, para que os atletas possam baixar e escutar em seus dispositivos de áudio em meio aos treinos, artigos relacionados a dinâmicas de treinamento associados com a música, e quem sabe em um futuro não muito distante eventos educativos com profissionais da área da educação física com DJ's fazendo um som ao vivo em um treinamento coletivo

É isso, se por acaso você chegou até aqui e leu tudo, espero que tenha gostado. Caso queira conversar mais a respeito, estou à disposição.

Obrigado pela oportunidade.

Abraço,
Leandro Matos